Bate Papo de Princesa, Conselhos

Seja Você Mesmo! – Sua Melhor Versão!

Boa Tarde minhas Princesas! tudo bem meus amores? Quanto tempo né? Uhuu estamos voltando com tudo na real! Altos projetos e muitas novidades! Hoje irei falar sobre um tema que levo comigo desde os meus 12 anos e ultimamente tenho repensado nisso… Vamos lá? Continue comigo…

Alguns dias atrás encontrei uma pessoa que há muitos anos não encontrava, fiquei assustada pois aquela mulher estava envelhecida precocemente e muito gasta pela vida. Eu pensei comigo mesma: essa não é a melhor versão dessa moça. Comecei a pensar: “Você faz decisões e suas decisões fazem você.”

Uma escritora disse: “A vida é o presente que Deus lhe deu, o que você vai fazer com ela é o presente que você vai dar para Deus.” Dia após dia todos estamos sendo transformados, infelizmente com os problemas da vida alguns têm se tornado amargos, ressentidos, críticos, promíscuos, dissimulados, rebeldes, enquanto outros têm se tornando mais doces, amáveis, corajosos, puros e transparentes. A tarefa mais importante da vida não é o que você vai fazer, mas quem você irá se tornar. Uma semente de um carvalho faz nascer um carvalho, mas dependendo do ambiente, terreno, solo, clima, a semente de carvalho pode ser um carvalho sadio ou mirrado.

Você sempre será você, mas você pode ser alguém saudável e crescendo ou alguém mirrado e abatido. A boa notícia é que Deus não quer acabar com o que restou de você, Ele deseja que você cresça para que outros sejam inspirados pela sua vida. Quando você deixa de ser a pessoa que Deus planejou, você rouba o mundo dos seus dons. Há uma pessoa dentro de você esperando para aparecer. Deus quer fazer coisas de maneira exclusiva para cada um de nós. Acredite, há muita criatividade nEle para nos tratar singularmente. Ele desenhou sua singularidade e não quer que você se torne outra pessoa. Ele tinha uma imagem em mente quando te fez e tem em mãos seu melhor retrato. Seu chamado é ficar mais parecido com você MESMO! No entanto, existe em você um ser Próspero e um ser debilitado, uma pessoa bonita e uma feia. Existe uma batalha que acontece nas profundezas do seu interior, você pode responder ao amor ou ao medo, pode revestir-se de virtude e despir-se do pecado ou dar espaço, para que o “você torto” (velho homem), manifeste seus maus hábitos. Sua melhor versão é uma fonte de inspiração para outras pessoas, mas o “você bizarro” é indisciplinado naquilo que diz, recorre á fofoca, ataca, mente e engana. Porém, sua melhor versão é resiliente no sofrimento, cresce e melhora a cada nova dificuldade.

Após refletir comigo, há 7 decisões a se tomar para ser sua MELHOR versão:

  1. Decidir o que não quero ser: Se o seu foco for simplesmente em você, nunca se tornará o melhor que pode ser. Ninguém consegue ser realmente feliz se esse for seu principal e único foco. Nós somos feitos para os outros, é assim que existimos, uns para os outros. A vida dedicada somente a si mesmo é pequena, egoísta e pobre. É por isso que o casamento é o teste de todo homem e mulher, é ali que você se torna a sua melhor ou pior versão. Você foi feito para amar seu cônjuge, cuidar de seus filhos, dar a vida aos amigos e servir a Deus em dua geração. Ele nos fez para sermos felizes tornando os outros felizes. Prosperidade é harmonia com Deus, com os outros, com a criação e com você mesmo. Nessa vida o que importa não é o que você alcança: É o que você se torna.
  2. Decidir lidar com a pessoa que eu finjo ser: Deus fez você para ser você mesma. Quando se encontrar com Deus, Ele lhe perguntará por que você não foi você. Quando cresço para me tornar quem sou, me liberto de quem eu finjo ser, entende? Há pessoas que começam a conversar e dizer que conhecem um tanto de gente “importante”, eu só tenho a dizer que essa pessoa não conhece a pessoa importante que ela é. Há quem tente provar que é importante. Tentar provar sua importância, diminui sua importância. Há gente falando pelos cotovelos tentando provar aos outros algo que ainda não se convenceu, mas fingir ser quem não somos dá muito trabalho. Projetar uma imagem nos deixa cansados, fingir humildade é puro orgulho. Diga para si mesma: Desisto da necessidade de aparecer!
  3. Decidir lidar com o eu que acho que deveria ser: Dias atrás lembrei de um casal que conheci quando morava na Bolívia, foram estudar medicina e também fazer missões, pensei: “Isso é um chamado alto!”, mas ponderei “Isso é como um sapato, só cabe no pé de quem tem aquele número”. Eles estavam radiantes enquanto que outros que não tivessem o mesmo chamado e tentassem fazer o mesmo podiam perder os filhos, o casamento e a fé. Há pessoas se sentindo pressionadas, infelizes e artificiais, porque estão ocupando um papel que não é seu. A comparação dispara a competição. A comparação mata p crescimento.
  4. Decidir lidar com o eu que os outros querem que eu seja: Eu estava no cursinho aos sábados, e uma moça começou a puxar papo comigo… Contei um pouco da minha história para ela e ela se abriu comigo dizendo que estava no ultimo semestre de direito e que ao concluir iria entregar seu diploma aos pais, pois era o sonho deles que ela cursasse direito, apesar de que ela resolveu não exercer e começar do zero tentando vestibular para Medicina…  Saul vestia 56 longo e Davi 38 médio, Saul queria colocar a armadura dele em Davi, Ele imaginou que o que era útil para ele, serviria em Davi. Nós não somos produzidos em massa  – somos manufaturados. Você tem um um número único, somos feitos sob medida. Deus nos trata singularmente. Ele não trabalha com tamanhos únicos, pois ele nos fez artesanalmente. Discípulos são artesanais e amar alguém significa desejar que essa pessoa se torne as melhor pessoa que possa ser.
  5. Decidir lidar com o “eu” que temo que Deus queira: Philip Yancey disse uma vez: “abandonei a igreja durante algum tempo, porque eu encontrei bem pouca graça ali. Voltei porque não descobri graça em nenhum outro lugar.” A comunhão fere, mas a comunhão cura! Foi difícil entender a vontade de Deus. Seu propósito não é produzir obediência á regras, mas um relacionamento de intimidade. A vida cristã não é uma obrigação, mas uma vida de fé.
  6. Decidir lidar com o “eu” que fracassou em ser: Tomás de Aquino falava sobre a acedia: a fadiga da alma, a incapacidade de se deleitar com a vida. Henry David Thoreau falou sobre o seu medo de “se ao morrer, eu descobrisse que não vivera”. Há gente que está matando o tempo em empregos fora de sua vocação, há muita gente hoje prostrada, que continua vivendo, trabalhando, mas que perdeu o sendo de esperança. Porém, fracassos não são fracassos se você aprendeu a lição.
  7. Decidir lidar com a lacuna entre quem sou hoje e quem serei amanhã: Alguns não conseguem esperar e falsificam o crescimento. É preciso lidar com a tensão de quem sou hoje e o que me tornarei amanhã. O salmo 92:12-13 diz que os justos florescerão como a palmeira, florescerão nos átrios do nosso Deus. A função da árvore não é tentar dar frutos, mas permanecer junto ao rio. A fe é uma entrega e não um esforço. Simplesmente renda-se. Tenho que entender que tenho a vida inteira para crescer e que sou uma obra ainda inacabada.

“Portanto, lembra-se que ser bonito é ser você mesmo!”

Bispa Dirce Carvalho.

 

E aí amores, gostaram? Eu amei refletir essas palavras! Vamos lá! Tem sim uma MELHOR VERSÃO DE VOCÊ MESMA! Desejo um final de semana abençoado e pleno para todos! Amoooo vocês demais! Comente aqui, se gostaram e se tem sugestões… Estamos de braços abertos para toda ideia! Beijos e até mais!

Comentar via Facebook

Comentários

Previous Post

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply